Governo Wosgrau usou recursos da CPS para construção de moradias

Belotto, Santana e Taques discorrem sobre gestão da Companhia Ponta-grossense de Serviços e divergem sobre a utilização de duplicatas

A CPS anunciou a retoma de 201 trechos de pavimentação a partir de junho

A CPS anunciou a retoma de 201 trechos de pavimentação a partir de junho

Após a publicação de auditoria que acusava saúde financeira debilitada; do vereador Laroca Neto (PDT) questionar a suspensão da execução de contratos de pavimentação; e a Prefeitura anunciar a retomada do asfaltamento após análise interna da entidade, a Companhia Ponta-grossense de Serviços (CPS) expõe novo entrave.

Com capital de giro atual insuficiente e a necessidade de aporte financeiro por parte da Prefeitura para o cumprimento dos contratos – algo que sempre existiu, mas que agora se torna imprescindível –, a entidade busca explicações para a instabilidade das finanças. De acordo com o atual presidente da CPS, Sérgio Belotto, houve a aplicação de verba em outro serviço da companhia que não a pavimentação.

“Como a CPS participou de uma licitação de casas da Prolar, ela saiu um pouco do foco principal que era a questão do asfalto e acabou tendo que empregar muito dinheiro nessas obras de construção das casas. Em decorrência disso, a administração anterior teve que fazer alguns descontos em duplicata, certamente para suprir esta falta de dinheiro e o capital de giro necessário para fazer essas casas”, aponta.

(Fonte: Jornal da Manhã)

Prolar inicia entrega de senhas

A Companhia de Habitação de Ponta Grossa (Prolar) iniciou, ontem, a distribuição das senhas para o recadastramento das famílias que estão na fila por uma casa própria.

Luciane Prado, há 13 anos na fila, diz ter esperanças de ser contemplada após o recadastramento

Luciane Prado, há 13 anos na fila, diz ter esperanças de ser contemplada após o recadastramento

A Companhia de Habitação de Ponta Grossa (Prolar) iniciou, ontem, a distribuição das senhas para o recadastramento das famílias que estão na fila por uma casa própria. O recadastramento irá abranger todas as pessoas que se cadastraram na Prolar até o dia 31 de dezembro de 2011 – quem se cadastrou a partir de janeiro de 2012 não precisará fazer o recadastramento. A distribuição das senhas ocorre das 8h às 17h30, na sede da Prolar (na Rua Balduíno Taques, 445, esquina com a Rua Doutor Colares), até sexta-feira, dia 15. Os interessados deverão ir até o local com a carteira de cadastro da Prolar.

Segundo Dino Schrutt, presidente da Companhia, o recadastramento é necessário para atualizar a real demanda por habitação no município. O último recadastramento foi realizado em 2005.

(Fonte: Jornal da Manhã)

Prolar irá atender famílias com renda de até R$ 3.275

Antes restrita ao atendimento das famílias com rendimento mensal até 1,6 mil, Prolar irá atender famílias compreendidas na ‘faixa 2’, com renda mensal de R$ 1.601 a R$ 3.275

Segundo Dino Schrutt, presidente da Prolar, atendimento à nova faixa impedirá que os trabalhadores já cadastrados, que registrarem incremento em sua renda, fiquem desassistidos

Segundo Dino Schrutt, presidente da Prolar, atendimento à nova faixa impedirá que os trabalhadores já cadastrados, que registrarem incremento em sua renda, fiquem desassistidos

A Companhia de Habitação de Ponta Grossa (Prolar) passará atender um número maior de pessoas a partir de março. Isso deve ocorrer pelo fato de que, a partir deste ano, a Companhia passará a atender uma faixa de renda que não era atendida antes: famílias com renda superiores a R$ 1.601 mensais – antes, a Companhia trabalhava apenas com a assistência às famílias enquadradas no ‘plano 1’ do ‘Programa Minha, Casa Minha Vida’, com renda mensal de até R$ 1,6 mil. A informação foi revelada ao Jornal da Manhã por Dino Athos Schrutt, Presidente da Prolar, dizendo que até março, todos os parâmetros devem ser definidos e divulgados, já que alguns detalhes ainda não foram finalizados.

“Vamos iniciar o atendimento a segunda faixa agora, para famílias que possuem renda de R$ 1.601. Já está tudo aprovado, a parte mais complicada já foi feita; resta a fase final de elaboração de contratos. Dessa forma, ainda não há como anunciar o número de habitações, porque vamos assinar os convênios nas próximas semanas. Mas, ainda em março, talvez eu já consiga informar o número de habitações, quais esses conjuntos novos e outros detalhes”, revela Schrutt.

(Fonte: Jornal da Manhã)

Prolar regulariza situação de 2 núcleos residenciais

Com uma ação rápida, a Companhia de Habitação de Ponta Grossa (Prolar) tomou as medidas para regularizar o andamento das obras – e ajustar o cronograma de entregas

As casas deverão ser entregues até o mês de março

As casas deverão ser entregues até o mês de março

Com uma ação rápida, a Companhia de Habitação de Ponta Grossa (Prolar) tomou as medidas para regularizar o andamento das obras – e ajustar o cronograma de entregas – de dois núcleos habitacionais construídos sob sua responsabilidade, com financiamentos da Caixa Econômica Federal.

O presidente da empresa, Dino Athos Schrutt, anunciou nesta terça-feira que os conjuntos Amália I e Amália II, o primeiro com 99 moradias e o segundo com 245, que apresentavam graves problemas, terão suas obras retomadas de imediato.

“Apenas o Amália II teve algumas casas entregues e, destas, perto de 20% apresentaram problemas. As obras das demais estavam paralisadas desde o mês de setembro”, informou Schrutt.

(Fonte: Jornal da Manhã)